"Tudo é tão simples que cabe num cartão postal..."
Cazuza

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Quem Morre?





QUEM MORRE?

Morre lentamente
Quem não viaja,
Quem não lê,
Quem não ouve música,
Quem não encontra graça em si mesmo

Morre lentamente
Quem destrói seu amor próprio,
Quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente
Quem se transforma em escravo do hábito
Repetindo todos os dias os mesmos trajeto,
Quem não muda de marca,
Não se arrisca a vestir uma nova cor ou
Não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente
Quem evita uma paixão e seu redemoinho de emoções, Justamente as que resgatam o brilho dos
Olhos e os corações aos tropeços.

Morre lentamente
Quem não vira a mesa quando está infeliz
Com o seu trabalho, ou amor,
Quem não arrisca o certo pelo incerto
Para ir atrás de um sonho,
Quem não se permite, pelo menos uma vez na vida, Fugir dos conselhos sensatos...

Viva hoje !
Arrisque hoje !
Faça hoje !
Não se deixe morrer lentamente !

NÃO SE ESQUEÇA DE SER FELIZ
Martha Medeiros

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Os Originais do Samba



OS ORIGINAIS DO SAMBA


Grupo formado na década de 60 no Rio de Janeiro por ritmistas de escolas de samba, começou a se apresentar em teatros e show, incluindo o palco do Copacabana Palace, onde realizou o espetáculo "O Teu Cabelo Não Nega". Fixaram-se em São Paulo depois de excursionar pelo México, e em 1968 acompanharam Elis Regina na música vencedora da I Bienal do Samba, "Lapinha", de Baden Powell e P.C. Pinheiro.
No ano seguinte gravaram a música "Cadê Teresa", de Jorge Ben, que fez grande sucesso. Participaram de festivais e ganharam discos de ouro pela vendas de suas gravações, principalmente nos anos 70, combinando o canto uníssono, a roupa padronizada e boa dose de humor.
Um dos integrantes do grupo, Mussum, sairia para formar Os Trapalhões ao lado de Renato Aragão e Dedé Santana. Tocaram com grandes nomes da música brasileira - como Chico Buarque, Jair Rodrigues, Vinicius de Moraes - e mundial - Earl Grant.
Excursionaram pela Europa e Estados Unidos, e foram o primeiro conjunto de samba a se apresentar no Olympia de Paris. Alguns de seus maiores sucessos são "Tá Chegando Fevereiro" (Jorge Ben/ João Melo), "O Lado Direito da Rua Direita" (Luiz Carlos/ Chiquinho), "A Dona do Primeiro Andar", "O Aniversário do Tarzan", "Esperanças Perdidas" (Adeilton Alves/ Délcio Carvalho), "E Lá se Vão Meus Anéis" (Eduardo Gudin/ P.C. Pinheiro), "Tragédia no Fundo do Mar (Assassinato do Camarão)" (Zeré/ Ibrahim), "Se Papai Gira" (Jorge Ben), "Nego Véio Quando Morre". Em 1997 gravaram um CD comemorativo pelos 30 anos de carreira, e atualmente continuam se apresentando no Brasil. Fizeram parte do grupo: Mussum, Rubão, Bigode, Bide, Chiquinho, Lelei, Zeca do Cavaquinho, Sócrates, Rubinho Lima, Valtinho Tato e Gibi.
Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Os_Originais_do_Samba

Auto Estima


“Falar muito sobre si mesmo pode ser um meio de se esconder.” Nietzsche.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Os Trabalhadores

Olá Pessoal
Mais uma pintura a óleo,feita por mim.Intitulada de " Os Trabalhadores".
Particulamente amei esse quadro, tudo aqui se interpreta,se funde, se disfarça e volta à tona sob os aspectos mais diversos, sendo duas ou mais coisas ao mesmo tempo,tendo outro significado, outra roupa até outra cara.
Espero que gostem, aguardo os comentários.

Beijos

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Imaginação


"A imaginação é como um braço extra, com o qual você pode agarrar coisas que de outra forma não estariam ao seu alcance." (Sartre)

domingo, 16 de janeiro de 2011

O que faz bem pra mim


"Acho a maior graça. Tomate previne isso,cebola previne aquilo, chocolate faz bem, chocolate faz mal, um cálice diário de vinho não tem problema, qualquer gole de álcool é nocivo, tome água em abundância, mas não exagere...
Diante desta profusão de descobertas, acho mais seguro não mudar de hábitos.
Sei direitinho o que faz bem e o que faz mal pra minha saúde.

Prazer faz muito bem.
Dormir me deixa 0 km.
Ler um bom livro faz-me sentir novo em folha.
Viajar me deixa tenso antes de embarcar, mas depois rejuvenesço uns cinco anos.
Viagens aéreas não me incham as pernas; incham-me o cérebro, volto cheio de idéias.
Brigar me provoca arritmia cardíaca.
Ver pessoas tendo acessos de estupidez me
embrulha o estômago.
Testemunhar gente jogando lata de cerveja pela janela do carro me faz perder toda a fé no ser humano.
E telejornais... os médicos deveriam proibir - como doem!
Caminhar faz bem, dançar faz bem, ficar em silêncio quando uma discussão está pegando fogo,
faz muito bem! Você exercita o autocontrole e ainda acorda no outro dia sem se sentir arrependido de nada.
Acordar de manhã arrependido do que disse ou do que fez ontem à noite é prejudicial à saúde!
E passar o resto do dia sem coragem para pedir
desculpas, pior ainda!
Não pedir perdão pelas nossas mancadas dá câncer, não há tomate ou mussarela que previna.
Ir ao cinema, conseguir um lugar central nas fileiras do fundo, não ter ninguém atrapalhando sua visão, nenhum celular tocando e o filme ser espetacular, uau!
Cinema é melhor pra saúde do que pipoca!
Conversa é melhor do que piada.
Exercício é melhor do que cirurgia.
Humor é melhor do que rancor.
Amigos são melhores do que gente influente.
Economia é melhor do que dívida.
Pergunta é melhor do que dúvida.
Sonhar é melhor do que nada!"

Martha Medeiros
Martha Medeiros é uma jornalista e escritora brasileira. É colunista do jornal Zero Hora de Porto Alegre, e de O Globo, do Rio de Janeiro.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Fancoise Nielly








Francoise Nielly teve uma infância regrada e quase abandonada. Seu pai arquiteto era muito severo e não deixava espaços para erros. Desde então ela aprendeu que a sua fuga só seria possível através do seu imaginário.
As cores fluorescentes são reflexo das viagens constantes ao sul da França e os traços fortes e ríspidos mostrar o quanto a vida em Paris (e a aproximação com o centro urbano) foi importante para deixá-la transparecer sua força e “erros”. Seus primeiros trabalhos foram com publicidade mas, de novo, a cobrança apenas por resultados bem sucedidos a fizeram largar a profissão.
Ela própria se identifica muito com Bacon, Warhol, Bodini, Freud que, através de auto-retratos, demonstram o seu olhar do mundo. Isso sem deixar de lado o traço abstrato das cores que ajudam a compor suas obras, tão cheias de vida.
Suas obras são geralmente feitas a partir de fotografias em preto e branco, o que revela ainda mais sua habilidade em interpretar luz, sombra e tom com cores brilhantes.

Fonte: http://www.francoise-nielly.com/


quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Sensibilidade

“É o uso da sensibilidade e não a própria sensibilidade, que vale em arte."


FERNANDO PESSOA

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Noites Tropicais



Ganhei esse livro de uma amiga querida, mas há muito eu queria ler, como tinha lido o do Tim Maia que é  do mesmo autor, o da Elis Regina que é da Regina Echeverria, e todos falam de uma minha  paixão que é música.Fiquei super curiosa.
Devorei o livro, é uma viagem ao passado musical de nosso país, histórias dos meus heróis que bravamente deixaram sua marca e marcaram muitas vidas.
Um conselho, leia o livro com papel e caneta na mão, pois encontrará um acervo de músicas para serem adquiridas e desfrutadas a maneira de cada um.
"Um elenco de estrelas numa trama de sucessos e fracassos, de lágrimas e gargalhadas, entre sexo, drogas e MPB. Nelson Motta acompanhou e viveu intensamente cada momento da música brasileira de 1958 a 1992, do surgimento da Bossa Nova ao Rock Brasil.
Em Noites Tropicais, suas memórias musicais, há tanto esperadas, ele conta essa história, recheada de episódios apaixonantes. São 464 páginas, com 63 fotos e sofisticado projeto gráfico do designer Luiz Stein. Compositor, produtor e diretor artístico, crítico musical e revelador de novos talentos, Nelsinho, com seu texto envolvente, faz do leitor um entusiasmado participante deste arrebatador enredo, que acompanhamos da platéia, e agora, com seu livro, passamos a conhecer também pelo ângulo dos bastidores."

Imagens: retiradas da net



quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Decisão


"No momento em que realmente decidimos por algo, então o Universo começa a agir também. Todo tipo de coisa começa a ocorrer - coisas que não ocorreriam normalmente, mas que acontecem porque tomou a decisão
Uma série de eventos flui dessa decisão, levantando, a nosso favor, todo tipo de imprevistos, encontros e assistência material que nenhuma pessoa no mundo poderia planejar que ocorresse na sua vida.
Seja lá o que você possa fazer, ou tenha o sonho de fazer - comece. O arrojo tem dentro de si a inteligência, poder e mágica. “Então comece agora.”

Bem vindo 2011